sábado, 4 de novembro de 2017

Cadê a bola?

Resultado de imagem para cade a bola
Sempre ouvi no Texas esta frase : "Jogar por 1 bola."
Faz parte de um acervo incrível de frases grotescas.
Quando um texano me lançava esta frase ,sempre eu fazia a mesma pergunta:
"E se o Grêmio fizer 1 gol as 10 minutos do primeiro tempo?"
O Texano não respondia.Se irritava e pulava da barca.
"Jogar por 1 bola" é irmã gêmea do Sinpof (Sindicato do Pontinho fora.). Também tem parentesco forte com "voltar vivo"..
Estas frases impediram o Grêmio chegar a vários títulos nacionais nas décadas de 60 e 70.
Especialmente em 1973 o Grêmio abdicou do campeonato.Fez uma excelente fase classificatória e depois se afogou no esgoto da retranca.
O jogador argentino Oberti respondeu em 1974 a pergunta que tenho feito ao longos do anos.
 " O Froner não gostou quando eu disse que quando Grêmio fazia 1 X0,contra qualquer time,o jogo terminava.E é verdade.Todo mundo recua, como um time pequeno.".
No prosseguimento do texto (vide revista Placar)) pergunta : " Onde está a bola?"
Isto ocorreu na primeira metade da década de 70.Quase 50 anos depois ainda tem apoiadores deste absurdo.
Fico imaginando o Grêmio depois de ter feito um gol aos 7 minutos do primeiro tempo em Guaiaquil voltar para a defesa e tentar garantir o resultado magro de 1 X0.
Isto aconteceu umas 300 vezes na história do Grêmio
O Texas vai custar a expurgar a retranca e o medo.Carlos Froner e Sergio Moacir Torres Nunes são os pais do sinpofismo.Graças a cartilha retranquista vários títulos do Grêmio não saíram do armário.
O Grêmio que desejo em Buenos Aires é o Grêmio das finais contra o Atlético (MG) em Belo Horizonte na Copa do Brasil.
Venceu a Copa do Brasil de 2016 de maneira brilhante.Neste ano teve uma recaída na Copa do Brasil.Em 135 minutos da decisão chutou 1 bola em gol
O discurso do Sinpof é forte.Mas Renato vai nos conduzir ao tri.
RW.
No final do post Daison Santana apresenta a biografia de Carlos Froner .


Por Daison Santana


Técnico Carlos Froner (1919-2002) biografia no Grêmio: 


Campeão Gaúcho: 1964, 1965 (invicto) e 1967

Torneio Roberto Gomes Pedrosa: 4º lugar em 1967 

Taça Brasil: semifinalista em 1967 

Brasileirão: 5º lugar em 1973 e 3º lugar em 1984

Libertadores: Vice-campeão em 1984 

Carlos Froner treinou o Grêmio em 1964/65; 1967; 1970; 1973/74; 1984


Motivo da matéria: Mesmo sendo vice-campeão da fase classificatória (Palmeiras líder 43) do brasileirão 1973 com 40 pontos (15 V, 10 E, 3 D), o atacante Obberti criticou o esquema de jogo de Froner: Retranca e jogando pelo 0x0 (visitante) e 1x0 (mandante).  Na fase final, o esquema foi fatal (5 V, 1 E, 3 D): Empate no Olímpico com o Cruzeiro (1X1) e derrotas para Guarani (0x1 -C), São Paulo (0x1 - F) e Botafogo (0x3 - F) tiraram do  Grêmio  a chance de disputar o quadrangular final.  

Obberti
JOGOS PELO GRÊMIO
102  (66,67% - 52 vitórias, 32 empates e 18 derrotas). Marcou 36 gols.

Nenhum comentário:

Postar um comentário