segunda-feira, 6 de novembro de 2017

A maior goleada em Grenais do Beira Rio.Avisem a IVI.(40 anos)

 

Foram 2 clássicos com goleadas na história do Beira-Rio. E ambos, por coincidência, foram pelo Campeonato Brasileiro: Grêmio 4x0 em 1977 e Inter 4x1 em 2008.  Mas a IVI trata de lembrar apenas os 4x1 de 2008. vencido pelos vermelhos
Não é só isto.A IVI sempre lembra o grenal de 5X2 do "Uh Fabiano".
 Neste ano fez uma matéria especial sobre este maldito grenal acontecido em 1997.
O Grenal do Fabiano é reverenciado até hoje pelos "isentos vermelhos".Assim como o famoso Grenal do Larri em 1954.
As grandes vitórias do Grêmio raramente são lembradas.E são esquecidas  nos seus aniversários.
É hora de lembrar a IVI pelo aniversário (40 anos) da maior goleada em Grenais no Beira-Rio .
Avisem a IVI.

 História do jogo enviada por Daison Santana.
Texto de Divino Fonseca
“A MAIOR GOLEADA EM GRE-NAIS DA HISTÓRIA DO BEIRA-RIO”

INTERNACIONAL  0 X 4  GRÊMIO 
Competição: Copa Brasil (Campeonato Brasileiro) / Primeira Fase - Grupo A - Turno Único - 4º jogo    
Data: domingo, 6/novembro/1977
Horário: 18 horas
Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre 
Árbitro: Dulcídio Vanderlei Boschilia (SP)
Renda: Cr$ 1 486 593,00
Público: 48 597
Internacional: Benítez; Batista, Beliato, Gardel e Dionísio; Caçapava (Vasconcelos), Jair e Falcão; Valdomiro, Luisinho e Edu (Escurinho); Técnico: Carlos Gainete
Grêmio: Corbo; Eurico, Vílson, Oberdan e Ladinho; Vítor Hugo, Tadeu Ricci e Yura (Jorge Leandro - 2ºT); Tarciso, André e Éder; Técnico: Telê Santana
Gols: Yura 37min30seg do 1º tempo; Tadeu Ricci (pênalti) 17, Yura 26 e Tarciso 41 do 2º tempo
Cartão Vermelho: Dionísio (Internacional)
*Revista Placar nº 394 - p. 64 : "GRÊMIO GOLEIA O INTER, CATEGÓRICO" 
     Quatro a zero. A enlouquecida torcida gremista nem queria acreditar. Logo no primeiro ano de domínio tricolor, a goleada  que o Internacional não conseguiu em oitos anos foi aplicada pelo seu time. E dentro do Beira-Rio logo ali, que é para marcar bem. Mais gostosa ainda porque, na última semana, badalava-se muito o ressurgimento do bicampeão brasileiro.
     Quatro a zero. Na rodada do chamados clássicos regionais, dos prometidos jogos de vingança, das primeiras decisões na série A do Campeonato Brasileiro, a impiedosa goleada que o Grêmio campeão aplicou no Inter bicampeão brasileiro foi a que ficou. De impressionante.
     Um time duro, o Grêmio. Fechou-se bloqueou, bateu, nos momentos em que o Inter partiu pra cima com tudo. Na verdade, foi assim durante quase todo o primeiro tempo: o meio-campo colorado andava bem, com Jair enxergando as brechas e Batista, como lateral, apoiando certo. O problema eram as conclusões.
     Primeiro, porque o Grêmio não deixava, Vílson e Oberdan rebatiam tudo, com a proteção, séria e eficiente, de Vítor Hugo. Segundo, por que Lusinho, mais uma vez, não convenceu. E Edu, de bom, só fez mesmo uma jogada. 
     Quando ninguém esperava, Yura marcou o primeiro. Aos 37, de fora da área. Um frango de Benítez, responsabilizou o vento. Era um golpe duro demais para um time ainda em formação. Por isso, o Inter entrou no segundo tempo ainda abalado, mas, quando ensaiou a reação, veio o pênalti discutido. Tadeu converteu  e, para piorar, Falcão cansou. Mas teve que ficar — Caçapava já havia saído, contundido. Aí, o Inter desmoronou.
     Um time cruel, o Grêmio. Aproveitou a sopa. Devidamente. Vítor Hugo, Tadeu, Yura, Tarciso, uma máquina. Os gols saindo fáceis (Yura e Tarciso completaram a goleada) e Gainete, desesperado, lançando Vasconcelos e Escurinho, lamentando as falhas de Benítez. De bonito, o Inter acabou mostrando, apenas, seu novo uniforme. Todo vermelho.
     A vingança? Tinha ficado na promessa. (Divino Fonseca)
.....................................................................................................................................



Nenhum comentário:

Postar um comentário